Três Pontas, 26 de abril de 2017 Atendimento

SAAE Três Pontas

Painel do site
Você sabia? Outubro Rosa. Nós Apoiamos esta causa!
Imprimir Email

Abastecimento

Sistema de abastecimento Sete Cachoeiras

por SAAE Três Pontas

26/03/2010 14:00

Obra de maior importância para nossa cidade em todos os tempos, a importância deste acontecimento não pode ser representada apenas pela grandeza da obra, mas principalmente pela importância que representa:

Representa saúde, melhores condições de vida, bem estar da população, progresso e desenvolvimento.

Foram exatos 10 anos de trabalho, entre os primeiros estudos até a sua conclusão total.

Estação de Tratamento Sete Cachoeira.

Estação de Tratamento Sete Cachoeira.



Há exatos 10 anos também inauguramos o Sistema Quatis ? Formiga, que captava as água dos córregos dos Quatis e do Formiga, naquela data, no sabíamos que num prazo máximo de 10 anos teríamos de ter outra fonte de abastecimento de água. Naquela época começamos a realizar os primeiros estudos para uma nova captação de água que garantisse o abastecimento de água da população trespontana no primeiros vinte anos do século 21.

Os estudos técnicos realizados indicaram o Ribeirão Sete Cachoeiras como melhor alternativa técnica. Durante 3 anos foram realizados levantamentos topográficos e elaborados os projetos de engenharia, para que fosse possível que as águas deste ribeirão pudesse transpor duas serras e a distancia de 10 km, desde a captação até esta estação de tratamento de água.

Então em 1.992, Três Pontas participa das duas primeiras reuniões do Programa SOMMA, que estava sendo lançado pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais, com participação do Banco Mundial e Governo do Estado de Minas Gerais.

Três Pontas, por sorte do destino, foi enquadrado no programa SOMMA, que previa inicialmente a participação de 15 municípios mineiros, teve este numero ampliado, justamente para contemplar Três Pontas.

Durante os anos de 1.993 e 1.994 aconteceram as formalidades burocráticas para a assinatura de contrato, com o BDMG, no valor de R$ 1.160.000,00.

No início de 1.995 foram iniciadas as obras, pela construtora Via Engenharia, vencedora do processo licitatório.

Em 31 de dezembro de 1.996 estavam totalmente concluídas e foram inauguradas as obras contratadas com o BDMG.

Estas obras são:

Barragem de regularização de nível em gabião no ribeirão Sete Cachoeiras;

Canal de tomada de água e três poços de sucção em concreto armado;

Casa de bombas da elevatória n.º 1;

Instalação de um conjunto moto-bomba com potência de 175 c.v.;

Subestação de energia elétrica 13,8 KV/440V 215 KVA

Adutora de recalque em ferro fundido DN 400 mm, com 1.060 metros de extensão;

Poço de sucção em concreto armado com capacidade de 300 m3;

Casa de bombas da elevatória n.º 2;

Instalação de um conjunto moto-bomba com potência de 300 c.v.;

Subestação de energia elétrica n.º 2 com potencia de 13,8/440V 300 KVA;

Caixa de transição, na cota 1020, em chapa de aço, com 20 metros de altura

Adutora de gravidade no diâmetro de 300 mm e extensão de 8.080 metros. Nesta adutora foram utilizados tubos de PVC e ferro fundido.

Nesta etapa, o SAAE, participou com uma contra partida de R$ 290.000,00 do total do empreendimento, e também fez investimentos com a aquisição de terrenos, construção de rede de distribuição de energia elétrica, partindo da subestação da CEMIG, até as elevatórias.

No final de 1.996, foi feita uma importante modificação no projeto, que inicialmente previa a adução de água bruta até a estação de tratamento de água da Av. Ipiranga, e graças ao aporte financeiro da Fundação Nacional de Saúde foi iniciada a construção desta estação de tratamento de água.

Em 1.997 foi determinado a Secretaria do Meio Ambiente, que desenvolvesse um programa de proteção ambiental ma sub-bácia do Ribeirão Sete Cachoeiras. Programa da mais alta importância, pois visa garantir a qualidade da água, ao longo dos anos. Não adianta construir sistema de abastecimento de água se não temos água com abundância e qualidade. Nestes dois anos de trabalho, foram cadastrados aproximadamente 40 córregos, 50 nascentes, abrangendo uma área de 6.600 hectares. Paralelamente foi lançado o programa de Projeto de Saneamento e educação ambiental, que prevê a construção de fossas, esterqueiras, deposito de embalagem de agrotóxicos, noções de higiene pessoal, etc.

A importância destas atividades pode ser notada, pela participação da Prefeitura Municipal, SAAE, EMATER, IMA, IEF, governo federal, através do Ministério da Agricultura.

Finalmente, em 1.999 conseguimos concluir todas as obras, e nesta data entregamos a toda população trespontana, um novo sistema de abastecimento de água.

Esta etapa que ora entregamos a população de Três Pontas, é composta de:

Estação de Tratamento de Água, do tipo convencional, com unidades de mistura rápida, floculação, decantação laminar, filtros rápidos de areia e antracito. A capacidade deste ETA é de 150 l/s ou aproximadamente 13.000.000 litros por dia.

Casa de Química com deposito para produtos químicos utilizados no tratamento de água, laboratórios de análises físico químicas, exames bacteriológicos, análise de águas residuárias, escritório sala de preparo e dosagem de produtos químicos e demais unidades de apoio. O dimensionamento da casa de química foi realizado considerando-se o final do projeto, ou seja o tratamento de 300 litros de água por segundo.

Tanque de contado em concreto armado com capacidade de 180.000 litros;

Reservatório geral de água tratada, com capacidade de 1.000.000 de litros, em concreto armado, atualmente 2.000.000 de litros.

Linha de descarga de água de lavagem dos filtros e descarte da ETA, com extensão de 1260 metros em tubos cerâmicos

Se considerarmos o as duas etapas concluídas, captação e tratamento foram gastos cerca de R$ 3.200.000,00 assim distribuídos

Banco Mundial - R$ 580.000,00
BDMG - Gov. de MG R$ 290.000,00
FNS - R$ 1.130.000,00
SAAE - MUNICÍPIO R$ 1.200.000,00

A participação da Fundação Nacional de Saúde foi decisiva para a execução e conclusão desta obra.

Galerias de Imagens

Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página